Futebol Adaptado em Cadeira de Rodas para deficientes físicos no município de Chapecó

imagem portal socil

Nome da Entidade/Pessoa Proponente

Fundação Universitária do Desenvolvimento do Oeste – Fundeste

CNPJ/CPF do Proponente

82.804.642/0001-08

Segmento

Desporto Educacional

Área

Esporte

Data Inicio Projeto

30/11/-0001

Data Final Projeto

12/06/2022

Município

Chapecó – SC

Responsável pelo Projeto

Aline Maria Piccinini

PRONAC

1814473-04

Lei de Incentivo correspondente ao projeto

Incentivo ao Esporte

Valor da Proposta

R$ 195.440,10

Valor Captado

R$ 195.440,10

Percentual Captado

100.00

Site do Proponente/Projeto

http://fundeste.org.br/

Descritivo sobre a Entidade proponente do projeto / Descritivo currículo pessoa proponente

Criada oficialmente em 4 de julho de 1970, como instituição pública de direito privado e com gestão comunitária, a Fundação Universitária do Desenvolvimento do Oeste – Fundeste foi instituída por lei municipal assinada pelo então prefeito João Destri. Em assembléia geral, estiveram presentes autoridades e lideranças de 36 municípios, numa iniciativa coordenada pelo então secretário dos Negócios do Oeste, Plínio Arlindo de Nes, e com a participação ativa do bispo diocesano da época, dom José Gomes, que foram os primeiros presidente e vice da Fundeste, respectivamente.A cada ano que se soma à história da Fundação Universitária do Desenvolvimento do Oeste (Fundeste), a região é surpreendida com os avanços alcançados por conta da atuação das mantidas Unochapecó, Farmácia-Escola e Instituto Goio-En.Desde o princípio, lá na década de 1970, a Fundeste traz inovação para o oeste catarinense e regiões próximas. Primeiro com a oferta de cursos de graduação e depois – e sempre – sendo a primeira a ofertar especializações, cursos de mestrado e doutorado, a incentivar a pesquisa, a realizar projetos de extensão que beneficiam diretamente a comunidade, a não medir esforços para se tornar uma instituição comunitária e buscar recursos que favoreçam o desenvolvimento regional no âmbito da educação, da cultura, da economia e, principalmente, nas ações sociais.Assim, tudo que vem sendo realizado nesses 50 anos de existência faz jus ao empenho daquele grupo que vislumbrou o desenvolvimento do interior do estado a partir do ensino superior e que acreditou, mesmo com os fatos jogando contra, que daria certo e que no futuro essa iniciativa seria motivo de muito orgulho. Mantidas:A Fundeste foi criada com a missão de promover o desenvolvimento regional nas mais diversas áreas, capacitando pessoas para conciliar o trabalho científico com as demandas do mercado. Essa missão é cumprida pelas mantidas Farmácia Escola, Instituto Goio-En e Unochapecó, que por meio de ações de ensino, pesquisa e extensão fomentam avanços na economia, na cultura, na área ambiental e na promoção do bem-estar social em todo o oeste catarinense. Unochapecó A Unochapecó é uma das principais universidades de Santa Catarina. Comprometida com o desenvolvimento do oeste catarinense, atua na formação de profissionais qualificados, na educação continuada, na produção e disseminação de novos conhecimentos, dedicando-se a ações comunitárias voltadas ao crescimento econômico e ao desenvolvimento social, ambiental e cultural.Seus cursos de graduação, especialização, mestrado e doutorado, suas ações nas áreas de pesquisa e extensão, bem como sua estrutura física e seu capital intelectual, fazem da Unochapecó uma referência nacional em pesquisa e inovação científica e tecnológica. Farmácia Escola UnochapecóA Farmácia Escola Unochapecó foi criada em 2003 como campo de estágio para Estudantes do curso de Farmácia, visando qualificar a formação profissional ao aproximar os alunos da realidade do mercado, capacitando-os para atuar nas áreas comercial e magistral. Nas atividades de estágio realizadas na Farmácia Escola, os estudantes associam teoria e prática desde o atendimento aos clientes e dispensação de medicamentos, até a Manipulação de fórmulas cosméticas e medicinais. Por ser um ambiente de ensino, a Farmácia Escola Unochapecó é referência em qualidade, tanto dos produtos que manipula quanto do atendimento oferecido. Instituto Goio-EnO Instituto Goio-En é uma organização de estudos, pesquisa, desenvolvimento e serviços que atua em dois eixos principais – Estudo dos Peixes e Educação Ambiental. No primeiro, desenvolve pesquisas relacionadas aos peixes da bacia hidrográfica do rio Uruguai, com destaque para o Projeto Piraqué, primeira estação de piscicultura com banco genético vivo de todas as espécies migratórias do rio Uruguai. No segundo, promove atividades de sensibilização sobre a importância de resgatar e preservar as riquezas naturais, adotando práticas responsáveis e sustentáveis em relação ao meio ambiente. Qualidade InstitucionalQuando falamos que a Unochapecó é referência em ensino superior, não é à toa. Em 2019, a instituição obteve o conceito máximo junto ao Ministério da Educação (MEC). Em uma escala que varia de 1 a 5, a nota demonstra a qualidade do ensino ofertado e a excelente estrutura da Unochapecó disponibilizada aos estudantes. Dos 19 cursos avaliados, 13 obtiveram conceito 5 e seis alcançaram nota 4.Mas, para chegar a esse nível, foi percorrido um longo caminho, a obtenção do conceito máximo, é resultado de um trabalho coletivo e representa o comprometimento da gestão, dos docentes, técnicos administrativos e estudantes, que acreditam no potencial de cada curso. Além disso, a nota máxima é a prova de que a Unochapecó tem inovado nos processos de ensino e aprendizagem, buscando a qualidade acadêmica, e de que os cursos estão no direcionamento correto, formando profissionais capazes de buscar soluções técnicas e científicas para as demandas emergentes e que contribuem para a melhoria da qualidade de vida da população por meio dos projetos de extensão. Os excelentes resultados apontam que o caminho da Unochapecó é esse: seguir seu trabalho de forma comprometida, revolucionando a partir do conhecimento.

Etapas do Projeto

Este projeto apresenta como objetivo de compor um time de futebol adaptado para adolescentes e adultos cadeirantes para o município de Chapecó- SC. No segundo momento será realizada a divulgação para as pessoas interessadas em participar desta modalidade esportiva. Após o grupo estar composto serão realizadas ações e avaliações com os participantes a fim de dar conta de cada objetivo específico proposto. Estas avaliações serão realizadas a cada 4 meses, e, será composta de diversos instrumentos de avaliação, sendo que este conjunto será intitulado de Avaliação Físico Funcional do Participante. Os jogos serão atividades esportivas para adolescentes e adultos com deficiência do Município de Chapecó-SC, sendo que estas proporcionam uma melhor qualidade de vida e uma interação social entre os participantes e demais profissionais colaboradores com o projeto. As atividades acontecerão 2 vezes na semana e a equipe será composta por diversos profissionais da saúde e da educação, será realizado no ginásio esportivo da UNOCHAPECÓ. Após a composição da equipe, a aquisição das cadeiras, o grupo de participantes será inscrito para participar de diversos eventos esportivos de acordo com a modalidade de Futebol em Cadeira de Rodas.

Objetivos do Projeto

Objetivo Geral Compor um time de futebol adaptado para adolescentes e adultos cadeirantes para o município de Chapecó- SC; Objetivos Específicos – Proporcionar atividades esportivas para adolescentes e adultos com deficiência do Município de Chapecó-SC; – Identificar e observar as melhorias que o esporte promove na vida dos praticantes; – Realizar avaliações físicas e funcionais para acompanhamento dos praticantes; – Avaliar e identificar os benefícios e impacto do esporte adaptado na vida do atleta portador de deficiência física; – Reinserir e integrar os participantes no meio social, trabalho, família e renda, entre outros problemas que acontecem no decorrer da vida; – Incentivar e reconhecer as atividades paraolímpicas no município de Chapecó, com a inserção e participação da comunidade.

Justificativa do Projeto

No Brasil Apesar de o Brasil ser conhecido como o país do futebol, não existia no país nenhuma iniciativa para prática do esporte. Em meados de 2010, um grupo de amigos, no Rio de Janeiro, se reuniu no intuito de obter as informações necessárias para desenvolver o Power Soccer no País. Após diversas reuniões e busca de informações, no dia 16 de janeiro de 2011, nasceu a Associação Brasileira de Futebol em Cadeira de rodas ABFC, que cinco meses depois foi reconhecida pela FIPFA, tornando-se o 1º Membro Sul- Americano a desenvolver a modalidade. O Power Soccer (ou Powerchair) é uma organização não governamental, é o primeiro esporte de equipe competitivo projetado e desenvolvido especificamente para usuários de cadeira de rodas motorizada. É um jogo habilidoso e desafiador semelhante ao futebol. As deficiências dos atletas incluem tetraplegia, esclerose múltipla, distrofia muscular, paralisia cerebral, e muitos outros. É jogado em uma quadra de basquete, onde duas equipes de quatro jogadores jogam com uma bola bem maior que a de futebol. A pessoa com deficiência é encorajada a engajar-se no esporte por causa das necessidades terapêuticas e consequências sociais positivas. Atualmente ainda são incipientes os projetos que procuram oportunizar atividades esportivas para adolescentes e adultos com deficiência. Existe um consenso de que atividades esportivas constituem uma das melhores formas de ocupar o tempo livre, mantendo o equilíbrio físico e mental, constituindo-se, portanto, em importante aliada para um estilo de vida mais ativo. O esporte é uma das manifestações culturais, destaca-se pelo envolvimento em atividades de lazer que, de diversas formas, contribuiriam para a melhoria do estado psicológico das pessoas envolvidas (MINAYO, 200). Seja pela ótica da inclusão social ou da promoção da saúde (FARINATTI, 2006), a oportunidade da pratica físico-desportiva, por todos, e amparada, na Constituição Federal, como um dos elementos essenciais para a melhoria da qualidade de vida da população. O relatório do Ministério da Justiça (BRASIL, 2004) sobre prevalência de deficiências, incapacidades e desvantagens, sistematizou inquéritos realizados em 21 cidades brasileiras das cinco regiões do país, apontando uma prevalência de 2.8% a 9.7% de incapacidades e, dentre essas, 0.3% a 3.6% referem-se à incapacidade de locomoção. Segundo Costa e Silva et al. (2013), o esporte adaptado é um fenômeno global que possibilita a igualdade social, a melhora da aptidão física, a ascensão e inclusão social. Ainda, segundo Cardoso (2011), a prática esportiva adaptada, oferta aos indivíduos inúmeros benefícios para saúde, potencializando o bem-estar físico e psicológico e, também, contribuindo na reabilitação. Dentre os esportes, encontra-se o futebol adaptado para cadeira de rodas, também chamado de Power Soccer ou Powerchair Football. É conhecido como uma modalidade paradesportiva, criado em 1978, no Canadá e na França, com intuito de reabilitar jovens com deficiências graves (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL EM CADEIRA DE RODAS). O futebol em cadeira de rodas se caracteriza como um esporte em equipe, rápido e dinâmico que desenvolve habilidades esportivas, a fim de proporcionar uma melhor qualidade de vida às pessoas com deficiência física (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL EM CADEIRA DE RODAS). Tendo por base, a problemática levantada apontou-se como: Implantar um time de futebol adaptado para adolescentes e adultos cadeirantes para o município de Chapecó- SC. Em 2002, o Programa Brasileiro contra sedentarismo inspira Dia Mundial da Saúde. O ministro da Saúde, Barjas Negri, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmim, e o representante da Organização Mundial da Saúde (OMS), Gro Harlem Brundtland, participaram em abril de 2002 das comemorações do Dia Mundial da Saúde. Com o slogan “”Agita Mundo – Move for Health””, o Dia Mundial da Saúde deste ano vai enfatizar a importância da atividade física para uma vida saudável (WHO, 2006). O quadro desfavorável no que se refere à prática de atividades físicas pela população motivou organizações internacionais e nacionais a incluírem a atividade física na agenda mundial de saúde pública. A Organização Mundial de Saúde lançou a Estratégia Global de Alimentação e Atividade Física. No Brasil, a recém aprovada Política Nacional de Promoção da Saúde inclui a promoção de atividades físicas na agenda nacional. A Portaria no 2.608, de 28 de dezembro de 2005 destina recursos a todos os estados da federação para investimento em projetos locais de incentivo a atividade física (BRASIL, 2005). A prática de esportes entre pessoas com deficiência é um processo de reabilitação mundialmente conhecido, e está sendo cada vez mais difundido no Brasil e no mundo. A modalidade futebol adaptado é de suma importância para as pessoas com alguma deficiência física. É um elemento ímpar na reabilitação funcional e em atividades físicas, onde devem ser orientadas e estimuladas, visando os benefícios ofertados ao individuo, como a melhora de sua qualidade de vida (CARDOSO, 2011). Os atletas paraolímpicos tornam-se modelos para seus pares jovens, inclusive crianças portadoras de deficiência, alguns pais procuram incentivar seus filhos para a prática do esporte, buscando a sua inserção social e melhora da qualidade de vida. De acordo com Sherrill (1998) não é incomum que pais fiquem preocupados com a possível rejeição social contra seus filhos portadores de deficiência e por estes estarem participando de atividades de iniciação esportiva em instituições especiais. A iniciação ao esporte adaptado objetiva a reabilitação, oportunidade social, recrutamento e continuidade no esporte a oportunidade de engajamento social com pares sob mesmas condições. Nesta continuidade, a importância e relevância de compor um time de futebol adaptado para adolescentes e adultos cadeirantes faz com que o esporte possa estar sendo incluído na vida dos deficientes físicos e as melhorias em sua saúde devido à prática da atividade.

Público Alvo do Projeto

Portadores de necessidades especiais da comunidade em geral
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

49 3321 2800 | acic@acichapeco.com.br

Av. Getúlio Vargas, 1.748 N, Chapecó/SC – 89805-000